Categorias: G1

5ª noite de protestos nos EUA tem nova morte e desobediência a toque de recolher

Levantamento de agência americana aponta que ao menos 1.699 pessoas foram presas no país desde quinta-feira (28) em protestos pela morte de Floyd, que foi asfixiado por um policial branco. Manifestantes seguram bandeira dos Estados Unidos e carta...


Levantamento de agência americana aponta que ao menos 1.699 pessoas foram presas no país desde quinta-feira (28) em protestos pela morte de Floyd, que foi asfixiado por um policial branco. Manifestantes seguram bandeira dos Estados Unidos e cartaz com a frase 'Black Lives Matter' ('vidas negras importam', em português) durante protestos em Las Vegas no sábado (30) pela morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por policial branco no dia 25 de maio. John Locher/AP Mais uma pessoa morreu e ao menos três foram baleadas na 5ª noite de protestos nos Estados Unidos pela morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por um policial branco e depois morreu, em Minneapolis, na segunda-feira (25). Ao menos 25 cidades americanas em 16 estados determinaram toques de recolher por causa dos protestos, segundo a rede de televisão americana CNN. O policial que asfixiou Floyd, Derek Chauvin, foi preso e acusado formalmente de homicídio, mas os manifestantes pedem que os outros policiais envolvidos no caso também sejam acusados, diz a rede americana. 5 fatos: entenda o caso Floyd A longa história de segregação e conflito racial em Minneapolis, onde George Floyd foi morto pela polícia Segundo um levantamento feito pela agência de notícias Assocated Press, pelo menos 1.699 pessoas foram presas em 22 cidades desde quinta-feira (28). Quase um terço das prisões ocorreu em Los Angeles, na Califórnia, onde o governo declarou estado de emergência e ordenou à Guarda Nacional que desse apoio aos 10 mil policiais da cidade. Mortes e prisões Manifestante grita em frente a um incêndio durante protesto em Los Angeles, na Califórnia, no sábado (30), pela morte de George Floyd. Ringo H.W. Chiu/AP Na madrugada deste domingo (31), uma pessoa morreu e outras três foram baleadas durante os protestos em Indianápolis, no estado de Indiana, afirmou a polícia local. No sábado (30), um jovem de 19 anos e um agente federal morreram e centenas de pessoas foram presas durante os protestos. Em Seattle, no estado de Washington, ao menos 27 pessoas foram presas em manifestações na noite de sábado (30), informou a polícia. As infrações iam de agressões a incêndios, destruição e saques. "A prioridade é proteger a vida e acabar com a destruição. Neste momento, sabemos que vários oficiais e civis foram feridos", disse a chefe da polícia, Carmen Best. A Guarda Nacional também está atuando na cidade. Em Jacksonville, na Flórida, um policial foi para o hospital depois de ser golpeado no pescoço, informou a polícia. O prefeito da cidade, Lenny Curry, declarou que o protesto na cidade, com 1,2 mil pessoas, tinha começado de forma pacífica, e, depois, ficou violento. "Não vamos tolerar isso em nossa cidade ou deixar nossa cidade queimar até o chão", disse Curry. Segundo a CNN, Jacksonville não é uma das 25 cidades americanas onde um toque de recolher foi imposto. Protestos na Casa Branca Manifestantes seguram cartazes com a frase 'black lives matter' (em português, 'vidas negras importam') em frente ao Capitólio, em Washington DC, no sábado (30). Jose Luis Magana/AFP Durante a noite de sexta (29) e na madrugada de sábado (30), também houve protestos em frente à Casa Branca, residência oficial do presidente Donald Trump na capital americana, Washington DC. Os manifestantes, que antes haviam percorrido a cidade, foram contidos por barreiras montadas por agentes do Serviço Secreto. Em um tuíte no sábado (30), Trump disse que os protestos no local tinham "pouco a ver" com a memória de George Floyd, e que os manifestantes só estavam lá para "causar problema". O presidente ameaçou ainda acionar a polícia militar, caso os estados não controlem os protestos. Ele pediu no Twitter que “governadores e prefeitos” que sejam “muito mais duros” ao lidar com manifestantes “ou o Governo Federal intervirá e fará o que deve ser feito, e isso inclui o uso ilimitado do poder militar e de muitas prisões. ” Agente do Serviço Secreto olha através de grades na Casa Branca enquanto manifestantes protestam pela morte de George Floyd em Washington DC, na sexta-feira (29). Alex Brandon/AP 'A polícia chegou lá de uma maneira cruel, atirando, jogando granada', lamenta pai de menino morto no Salgueiro, RJ Morte de George Floyd Policial foi filmado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd AFP/Facebook / Darnella Frazier George Floyd morreu no dia 25 de maio, depois de ser asfixiado por 8 minutos e 46 segundos pelo policial branco Derek Chauvin em Minneapolis, no estado de Minnesota. Na sexta-feira (29), Chauvin foi detido e acusado de homicídio. Documentos obtidos pela rede americana CNN mostram que a fiança do policial foi estabelecida em US$ 500 mil (cerca de R$ 2,7 milhões). Segundo a acusação contra Chauvin, ele manteve seu joelho sobre o pescoço de Floyd durante os 8 minutos e 46 segundos, sendo que nos últimos 2 minutos e 53 segundos o homem, negro, já estava inconsciente. A autópsia informou, entretanto, que não houve "nenhum achado físico que apoie o diagnóstico de asfixia traumática ou estrangulamento". Caso George Floyd: homem morre após brutalidade de policial em Minneapolis No entanto, o efeito conjunto de George Floyd ter sido asfixiado mais suas condições de saúde pré-existentes e a possibilidade de haver substâncias intoxicantes em seu corpo "provavelmente contribuíram para sua morte", de acordo com a acusação. Histórico Vários homens negros morreram nas mãos de policiais nos EUA nos últimos anos: Em 2015, Freddie Gray, de 25 anos, morreu sob custódia da polícia em Baltimore, no estado de Maryland. A morte dele foi depois qualificada como homicídio, mas o caso acabou sendo arquivado. Em 2014, Michael Brown, de 18 anos, morreu depois de ser baleado por um policial em Ferguson, no Missouri. Em 2012, Trayvon Martin, de 17 anos, também morreu depois de ser baleado por um policial em Sanford, na Flórida. Em 2009, Oscar Grant, de 22 anos, morreu depois de ser também baleado pela polícia em Oakland, na Califórnia, onde também houve protestos pela morte de Floyd. Guga Chacra: ‘Policial que matou George Floyd matou porque é racista’ Initial plugin text Caso George Floyd×

G1

Leia Também:
Compartilhar

Deixe seu comentário

Postagens recentes

UFC | Colby Covington quer duelo com Nick Diaz: 'Eu o aposentaria'

Colby Covington quer duelo com Nick Diaz: 'Eu o aposentaria'

17 minutos Atrás

Começam a atender amanhã | Entidade anuncia retorno de peritos para maioria das agências do INSS

Após vistorias, 87 de 108 locais foram considerados aptos ao trabalho presencial

19 minutos Atrás

Xbox Series S e Series X chegam ao Brasil em novembro por R$ 2.999 e R$ 4.999

A Microsoft oficializou nesta segunda-feira (21) os preços dos novos Xbox Series S e Series…

20 minutos Atrás

Whats Notícias, usa os cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.